O projeto de renda básica emergencial, depois de ter passado na câmara (ver aqui), foi aprovado pelo Senado no último dia 1º de abril e também sancionado pelo Presidente Jair Bolsonaro. Agora, falta apenas decreto da Presidência da República regulamentando o pagamento e informando o cronograma oficial. Toda pressão é fundamental para que o dinheiro chegue logo no bolso dos trabalhadores que mais precisam!

A boa novidade do texto aprovado pelo Senado é a ampliação do leque de beneficiários, que a partir das propostas de diversos partidos amplia o benefício de R$ 600 para “profissionais pescadores, agricultores familiares, técnicos agrícolas, catadores de material reciclado, taxistas, motoristas de aplicativo, motoristas de transporte escolar, caminhoneiros, agentes e guias de turismo, autores, artistas, garimpeiros, ministros de culto, missionários, teólogos, profissionais autônomos da educação física e sócios de pessoas jurídicas inativas.”, conforme informação do portal do PT no Senado (ver aqui).

O benefício vai passar também a ser pago com cota dupla (R$ 1,2 mil) para famílias monoparentais, independentemente do sexo, além de ser concedido para as mães adolescentes. O parâmetro para recebimento da renda básica é a renda atual do trabalhador, sendo a renda mensal per capita de até meio salário mínimo (R$ 552,50) ou a renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135). (Clique aqui e saiba mais sobre quem tem direito a receber)

Toda pressão neste momento é fundamental para que Bolsonaro pague logo e o dinheiro chegue no bolso do trabalhador! (Clique aqui para pressionar!)

E, mais do que isso, devemos ampliar o debate da Renda Básica como uma medida permanente capaz de diminuir as desigualdades no Brasil para além da crise atual marcada pela Pandemia do Novo Coronavírus.

One Comment

  1. Ellen Motta Assad-Reply
    3 de abril de 2020 at 16:24

    #pagalogobolsonaro

Leave A Comment